quarta-feira, 30 de abril de 2014

não-é-nada-demais

"Tudo bem, essas merdas acontecem. Mas não grite comigo o tanto que pode. Tenho um problema em mim que quanto mais alto é o tom, mais eu me fecho em silêncio. E não adianta me pedir calma, dizer isso-é-TPM, falar não-é-nada-demais, mas-por-que-você-está-triste-assim?. Porque, no fundo, no fundo, se algo é capaz de me tirar do sério é porque pra mim aquilo é a coisa mais importante do mundo. Pode não ser pra você, tudo bem. Mas sabe quando o teu time perde com um jogador a mais e mesmo assim tomou um gol roubado no finalzinho da partida? Então, pouco me importa se o camisa nove italiano bonito estava impedindo ou não. Mas você fecha a cara e termina com o nosso domingo logo cedo, antes das oito da noite, e faz um luto besta por menos três pontos do maldito teu time listrado. Eu poderia falar calma, não-é-nada-demais, você-não-está-ganhando-nada-com-isso. Mas, você sabe, mulheres não tentam entender muito o motivo do seu nervosismo quando sabemos que não é nada com a gente. Só ficamos por ali, inventando coisas para te entreter até você voltar a ser aquele cara espontâneo e divertido que tanto amamos. O amor é assim: se a gente for tentar entender tudo ficamos como um psicólogo chato recheado de perguntas sem respostas."

Nenhum comentário:

Postar um comentário